segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

São Paulo, Monóxido de Carbono!

São Paulo, Sampa, Paulicéia Desvairada: Drama e Comédia Concretos!

Derrama Monóxido de Carbono em Nossos Sonhos-de-cada-dia!


Em nossas veias já não corre sangue! Agora, monóxido de carbono...

Ainda assim, haveremos de te amar até o fim, querida Sampa!


Em nossas veias não corre sangue! Agora, monóxido de carbono!


Ainda assim, não te abandono jamais,

Paulicéia Concreta!


Somos todos "Monóxido de Carbono":

Meninos e Meninas Apressados!


Seres Urbanos, e Monóxido de Carbono, e Titânio, e Vidro...

Concreto e Aço!


Meninos e Meninas que bebem Tuas Bienais Envenenadas e Concretas!


Somos todos São Paulo, Somos Brava Gente!

Desbravamos todos os dias a Selva de Pedra!


Em tuas avenidas, tantos sonhos: Uma Gente Diversa

Gente de todos os cantos, sonhos, sotaques e senhas!


Sonho-Concreto, São Paulo, Sampa, Paulicéia Desvairada!


Poesia feita de pesadelos e ferro; pedra, fé e sonhos!


Tudo na metrópole é superlativo! É de pedra, é de aço: luxo-lixo!


Benditos sejam teus mendigos existencialistas, Metrô e baladas!


Em ternos “Ricardo Almeida” e números,

Benditos sejam teus executivos!


Sampa, quero beber do teu passado, presente e futuro!

Quero teus Meninos e Meninas:

Tatuagens e Cabelos Soltos ao Vento!


Não mais tento traduzir-te - ser-me-ia impossível!

Digo tão somente que és bela em todos os teus contrastes!


Tantas vezes me sinto um traste diante de ti!

Noutras, sou o mais feliz dos viventes!


Assusta-me a tua grandeza: faz-me cantar, delirar, rir, chorar...

Teus becos e guetos são os mais belos que eu já vi!


Não quero partir, querida Sampa!

Deixa-me ficar para sempre aqui!


Minha Poesia, quero construí-la em ti:

Concreta e Definitiva!


Paulicéia Desvairada! Ela é Fashion! É Brega!

Ela é Doida Demais! É Claridade! É Black-out!

Paulicéia é mui sofisticada!

É levada da breca! Ela é linda demais!


Paradoxos Outros!


Traze-me mais um Cálice!

Quero embriagar-me de Paulicéia:


A Mulher Enigmática! Em cada beco, outro

mistério de ferro!


É lindamente bissexual!

O Sal da América Latina!


De dia, engravatado, é São Paulo!

Gravata com estampas de números!


De noite, na gandaia, feliz da vida, é Paulicéia

Desvairada ao som de “I Will Survive”.


São Paulo é a minha Boa Nova!

Amplificada e Ampliada:

Sons em "outras" frequências!
Imagens em novíssimas dimensões!

Como me ensinou Tom Zé:
“Entre a ANGÉLICA e a AUGUSTA, encontro a CONSOLAÇÃO”
...e, feliz da vida, retomo o meu sonho!
Sigo viagem - Vou Viver no Brás!

Paulo Neuman

Licença Creative Commons
A obra São Paulo, Monóxido de Carbono! de Paulo Neumam Farias Souza foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Brasil.

Um comentário:

simplesmentelady disse...

depois de ler...
so posso dizer...que pra sao apulo nao falta assunto..
sobra tempo pra criar..
e vamos em busca da perfeiçao..
parabens Sao paulo!
Lady dell(santista)
25/01/2011